Lagosta nacional marisqueira azul

Dez coisas que não sabe sobre marisco

Manel Aguiar é uma das pessoas que mais percebe de marisco em Portugal. Há 32 anos que trata o marisco por tu. Desde que ia buscar água do mar à Boca do Inferno para mudar a água dos aquários até aos dias de hoje, em que está à frente da Marisqueira Azul, Manel já correu muitos dos restaurantes e marisqueiras de Lisboa e arredores. Eis algumas curiosidades.
  • O marisco português é um dos melhores do mundo. Não só porque em Portugal as águas são frias e limpas, mas também porque o sabemos cozinhar.
  • A melhor forma de cozinhar marisco é o mais simples e natural possível. O sabor a mar é o melhor tempero. Por exemplo, no caso da lagosta o melhor tempero é o seu próprio suco. As ameijoas só com alho e coentros, o camarão só com sal grosso e por aí fora.
  • Dentro da época de cada tipo de marisco, a maioria que se come em Portugal é de origem nacional.
  • Por mês passam pelo aquário da Azul cerca de 200 quilos de sapateira, mais de 70 quilos de lagosta nacional. Pela grelha passam cerca de 140 quilos de camarão tigre por mês.
  • Os melhores meses para comer sapateira são os terminados em RO (Setembro, Novembro, Outubro, Dezembro, Janeiro e Fevereiro). Nestes meses as fêmeas estão mais ricas e cheias, fora destes meses, os machos sapateira ganham.
  • Marisco que só existe em Portugal: Bruxas, cavacos, gamba do Algarve, o camarão de Espinho, canivetes e a ostra portuguesa.
  • O melhor conselho para comprar com marisco bom é comprá-lo vivo.
  • O melhor marisco português: Percebes das Berlengas ou do Cabo da Roca onde o mar é batido, a gamba do Algarve (Quarteira), as Bruxas de Cascais, Lapas dos Açores, a amêijoa Boa do Algarve.
  • É um erro comum achar que os restaurantes junto ao mar são os que têm o marisco mais fresco, nem sempre é assim.
  • O prego do lombo é a melhor sobremesa depois de uma mariscada.